Nossas massas são cozidas no ponto “Al dente” (firme). Se este ponto te agradar, basta esquentar com o molho de sua preferência, no forno a gás ou elétrico (baixa temperatura e até borbulhar) ou no micro-ondas por cerca de 3min (para porções do tamanho de um prato).

Então ferva a água e mergulhe a massa por, no máximo, 3 minutos (escaldar); como são artesanais e fechadas à mão, se passar desse tempo, poderão abrir.

Jamais! Essas massas estão no ponto para esquentar com molho, ou no fogão a gás, elétrico ou micro-ondas (conforme instruções do item 1).

Neste caso você tem 2 opções: escaldar a massa por 2 minutos, colocar em um recipiente apropriado (refratário ou até mesmo o prato de servir), cobrir com o molho e comer;  ou colocar tudo em um refratário (massa coberta com molho) e aquecer no forno a gás ou elétrico (baixa temperatura) ou no micro-ondas, até o molho borbulhar.

Sim, mas com cautela; deixe o fogo baixo e mexa delicadamente para a massa não abrir nem grudar. Mas recomendamos esquentar no forno, conforme itens 1 e 2.

Sim, por até 90 dias. Essa massa deverá ser consumida toda quando for usada, pois não pode ser recongelada.

Retire a quantidade que vai consumir, e deixe na geladeira por até 2 dias; caso não vá comer a massa nesse tempo, feche o pacote e congele a massa por até 90 dias. Essa massa deverá ser consumida toda quando for usada, pois não pode ser recongelada.

Na geladeira, de 8oC a 10oC, 25 dias (a validade está no rótulo/etiqueta); no freezer, de -20oC a -18 oC, 90 dias.

Sim; usamos somente tomate italiano e temperos naturais; não há corantes nem conservantes e acertamos a acidez com cenoura. Não usamos nenhum ingrediente de origem animal, portanto nosso molho é VEGANO.

Na geladeira, de 8oC a 10oC, 10 dias (a validade está no rótulo/etiqueta); no freezer, de -20oC a -18 oC, 90 dias.

Certamente; nossa matéria prima é de primeira qualidade e o parmesão é de nosso parceiro Yema®, ralado na hora.

Os queijos são de nosso parceiro Yema®, que confere alta qualidade em nosso produto final.

Sim, todas as massas frescas são elaboradas com ovo; mas temos uma linha VEGANA que não leva matéria-prima de origem animal.

Nosso molho é o tradicional Bechamel (base de manteiga com farinha), leite, sal e uma pitada de noz moscada.

Cada 500g de massa serve 2 porções, mas depende do apetite e vontade de comer de cada um.

Deve-se calcular de 180g a 200g por pessoa, se for servido algo a mais, como uma salada, salgado, antepasto ou carne. Mas se for servido somente as massas, calcula-se 250g a 300g por pessoa.

Jamais; qualquer produto que for descongelado deve ser consumido e nunca recongelado.

Todos nossos salgados estão prontos (assados ou fritos) e para aquecer, retirar da bandeja/pacote o que deseja consumir, colocar em uma travessa e aquecer no forno convencional a gás ou elétrico por cerca de 5 a 10min; pode ser aquecido também na AirFryer (o tempo dependerá da marca). Aconselhamos evitar micro-ondas, pois embora aquecido, o salgado fica “murcho”.

Há várias opções: tirar a massa do freezer e colocar com pacote e tudo na água fervente por 5 min, tirar da água, abrir o pacote e colocar a massa na travessa com molho de sua preferência e levar ao forno a gás ou elétrico (baixa temperatura) até o molho borbulhar ou no micro-ondas por 3-5min; deixar a massa descongelar na prateleira da geladeira um dia antes de consumir e já descongelada, colocar na travessa com molho e esquentar em forno a gás ou elétrico (baixa temperatura) até o molho borbulhar ou no micro-ondas por 3-5min; se o molho estiver aquecido e a massa descongelada, pode escaldar a massa em água fervente por 3 min, escorrer e colocar no prato de servir com o molho quente.

Deixar a massa descongelar na prateleira da geladeira um dia antes de consumir e já descongelada, colocar na travessa com molho e esquentar em forno a gás ou elétrico (baixa temperatura) até o molho borbulhar ou no micro-ondas por 3-5min.

Ferver a água, colocar sal a gosto e um fio de óleo; mergulhar a massa e deixar cozinhar por 2-4min (provar a massa para testar o ponto de sua preferência).
Servir com molho já aquecido.

Usamos cores para torná-las, além de mais saudáveis, bonitas e divertidas. O verde vem do espinafre, o laranja do pimentão, o rosa da beterraba, o marrom do café, o amarelo do açafrão e o preto da tinta de lula. São pigmentações naturais que não alteram o sabor final da massa. Caso a massa seja inteira de uma cor só, como exemplo o verde (espinafre), pode haver um leve sabor no “fundo”. Já para a tinta de lula, ela “puxa” para o cheiro e sabor de peixe, por isso, muitas pessoas que consomem nosso Fetuccine Nero Sephia (tinta de lula) faz sua preparação com frutos do mar, camarão ou molho ao sugo para acompanhar peixes.

Sim, basta abrir a tampa para não formar vácuo e esquentar pelo tempo que desejar.

Somente após retirar o conteúdo da embalagem e colocá-lo em uma atravessa adequada para o forno.

Temos parceria com UberEats e Ifood , que possuem nosso cardápio e fazem as entregas.

Depende do tipo de queijo que vai ao recheio.

Queijos macios, como os do tipo brie e camembert, harmonizam com vinhos brancos de corpo médio a leve e acidez intermediária (Chardonnay do Novo Mundo, como o Vinho Branco Escorihuela Familia Gascón Chardonnay, ou Chenin Blanc da África do Sul) e vinhos tintos de corpo leve e de acidez média a acentuada (como o Zorzal Terroir Único Pinot Noir, ou um Beaujolais).

Conhecidos pelo sabor intenso, os queijos azuis, como o gorgonzola ou o roquefort, têm textura macia e consistência quebradiça. Sugerimos a harmonização por contraste – ou seja, equilibrar o sabor salgado e intenso do queijo com a doçura do vinho do Porto, Sauternes ou de um Colheita Tardia.

Como harmonizar vinhos com queijos de massa filada: mussarela e provolone

Para acompanhar tais queijos, a melhor opção são os vinhos tintos de corpo leve ou médio, com acidez acentuada para equilibrar a gordura. Sugerimos vinhos com castas de Bordeaux, como Cabernet Sauvingnon, Merlot e Cabernet Franc.

Queijos de massa filada, como mussarela e provolone, harmonizam com: castas bordalesas, como Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc, ou um vinho composto pelas três castas, como o francês La Diligente.

Para queijos semiduros: prato, cheddar, gruyère e gouda, facilmente reconhecidos pelas olhaduras, aqueles furinhos que logo invadem a cabeça ao pensar em queijos, os semiduros têm como característica uma nota adocicada no paladar, resultado de um processo na fermentação dos queijos desse estilo.

Tal característica faz com que os queijos desse estilo harmonizem com vinhos leves, ácidos e frutados, principalmente das castas Riesling e Sauvignon Blanc, que conseguem equilibrar essa doçura e limpar o paladar para a próxima garfada.

Caso o queijo usado seja um semiduro maturado, ele pode ser acompanhado de vinhos tintos leves, ácidos e frutados como o italiano Villa Medoro Montepulciano d’Abruzzo.

Queijos semiduros, como gouda e gruyère, harmonizam com: Riesling, como o Leyda Single Vineyard Riesling Neblina.

Como harmonizar vinhos com queijos duros: parmesão e grana padano

Assim como os vinhos, alguns queijos duros, como os do tipo parmesão e grana padano também podem passar anos maturando para ir ao mercado apenas quando alcançam o ápice do sabor. Alguns desses queijos são vendidos ralados, para acrescentar à gastronomia um toque crocante.

Para identificar esses queijos, podemos citar a textura quase porosa, de casca dura, que pede por vinhos encorpados, de sobremesa ou amadeirados.

Queijos duros, como parmesão e grana padano, harmonizam com: Malbec, como o Escorihuela Familia Gascón Malbec, Vinho do Porto ou um Syrah do Novo Mundo.

Fonte: https://blog.grandcru.com.br/guia-de-harmonizacao-de-queijos-e-vinhos/

Quanto mais simples for o recheio, mais simples deve ser o molho. Quanto mais rico o recheio, mais rico o molho. Essa “regra” é importante para que um não roube o gosto do outro. Para uma massa recheada de abóbora ou ricota, por exemplo, e servir um molho muito forte, não vai sentir o sabor do recheio.

ESPAGUETE E LINGUINE

A consistência al dente e os fios longos destas massas pedem molhos líquidos, encorpados, mas não muito cremosos para não comprometer a integridade do prato. As sugestões ideais são o tradicional molho pesto, o molho de tomate, o béchamel e os molhos com ervas frescas, vegetais e frutos do mar, que incorporam melhor à massa.

TAGLIATELLE, PAPARDELLE E FETTUCCINE

O tagliattelle, o fettuccine e o papardelle são massas achatadas e mais espessas, que podem ser guarnecidas com muitos tipos de molho. As sugestões são os ragus, como o ragu à bolonhesa, o ragu de frango, cordeiro, cogumelos ou frutos do mar. Outras boas opções são o Carbonara e o Alfredo.

GNOCCHI

De textura macia e tamanho pequeno ou médio, o gnocchi (ou nhoque, em português) é uma massa suave, que pede molhos de sabor intenso para absorver todos os aromas dos ingredientes. Os ragus são boas opções, assim como o molho de tomate. O béchamel também é uma boa opção, principalmente quando unimos sabores fortes a ele, como os cogumelos e o queijo gorgonzola.

FUSILI, RIGATONI, MACARONI, PENNE E FARFALE

Apesar de suas estruturas variadas, essas cinco massas tem uma coisa em comum: são pequenas ou médias, cheias de curvas e buracos que absorvem os sabores de cada molho. Para elas, a maior parte dos molhos cria uma combinação saborosa, mas os indicados são os refogados, à base de verduras e carnes, assim como os molhos cremosos à base de queijos.

CAPELETTI, CONCHIGLIONE E RAVIOLI

O capeletti, o conchiglione e o ravioli são massas recheadas ideais para gratinar ou servir em sopas, com saladas e ao molho. As sugestões para acompanhá-las são o molho de tomates, o molho à bolonhesa, o béchamel e as receitas à base de manteiga e ervasque também são excelentes opções.

LASANHA

As lasanhas são folhas de massa de espessuras variadas, que podem ser recheadas ou intercaladas com receios versáteis. Os molhos para guarnecê-la variam de acordo com o recheio utilizado, indo dos mais suaves, como o béchamel e o molho de tomates, que acompanham recheios mais intensos, aos mais fortes, como ragus, para recheios mais suaves.

CABELO DE ANJO OU CAPPELLINI

Fina, delicada e suave, esta massa é ideal para sopas e para gratinar. Os molhos que a acompanham vão variar de acordo com os ingredientes da receita, mas os mais indicados são os molhos à base de tomates e ervas, como o molho de tomate. O cabelo de anjo também pode ser servido ao alho e óleo ou à manteiga com ervas frescas.

Fonte: https://amo.kitchenaid.com.br/tecnicas-e-ingredientes/massas-e-molhos-a-combinacao-ideal-para-cada-receita/